Duas marcas de pão light têm venda suspensa no Rio

Irregularidades nas informações nutricionais dos rótulos dos produtos motivaram a decisão; multa diária é de R$ 10 mil
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
30 de julho de 2012 | 14:26

A Justiça proibiu, em primeira instância, a venda de pão integral das marcas Light Naturalle e Multi Grãos Light Bread’s no Estado do Rio, por causa de irregularidades nas informações nutricionais que constam de seus rótulos. Segundo a Justiça, essas marcas não cumprem determinações e padrões da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Testes do Inmetro e da Anvisa atestaram que os pães não podem ser classificados como light. Por isso, as fabricantes devem retirar os produtos do comércio de todo o Estado, sob pena de multa diária de R$ 10 mil.

Cabe recurso. A ação civil pública foi movida em 2007 pela Comissão de Defesa do Consumidor da Assembléia Legislativa do Rio, com base em reclamações de clientes e de um teste realizado em todo o Pais pelo programa Fantástico, da Rede Globo.

Outras três marcas foram denunciadas, mas não sofreram punição porque já corrigiram as irregularidades.

A Natuvita, empresa sediada em Feira de Santana (BA) e responsável pela marca Naturalle, informou que não tem conhecimento da decisão judicial. Segundo a empresa, a proibição é inócua, já que nenhum de seus produtos é vendido no Estado do Rio.

A Bread's, situada na cidade gaúcha de Viamão, também afirma que soube da decisão por meio da imprensa e sustenta que nunca vendeu seus produtos no Rio. "O prazo de validade e de oito dias e para transportar até o Rio seria necessária a metade desse tempo. Então o pão chegaria já quase com a data de validade vencida", diz Paulo Teixeira, um dos responsáveis.-

PARA LEMBRAR

Falta regra para produto integral

Em 2010, o Ministério Público abriu inquérito para investigar os porcentuais de ingredientes integrais nos pães industrializados, já que no Brasil não há legislação que garanta que pães, bolos e biscoitos classificados como integrais tenham porcentuais expressivos desses grãos. Até 2005, o governo permitia que pães levassem a marca de integrais, mesmo que tivessem uma pequena quantidade de farelo. A resolução foi revogada e desde então não há mais regra.

Seção: Vida - Jornal O Estado de S.Paulo

Fornecedor: Lupa Clipping

Por: Antonio Pita Fábio Grellet / Rio em 28/07/2012

Fonte: Jornal O Estado de S. Paulo em 30 de julho de 2012 14:21

Pesquisar Tags:

pão integral, light, Inmetro, ANVISA, MINISTÉRIO PÚBLICO, legislação


Permalink |

Comentários

Deixe um comentário