No Brasil, atum vai para o prato congelado

Alimentos . Gomes da Costa muda portfólio e investe até em lasanha
Encinas, da Gomes da Costa: brasileiro vincula produto enlatado a conservante
Encinas, da Gomes da Costa: brasileiro vincula produto enlatado a conservante
24 de outubro de 2012 | 07:49

Uma "vending machine" itinerante, que traz no topo um aquário de peixes de água salgada, é instalada em academias de São Paulo para oferecer saladas de atum enlatadas. Esse tem sido o jeito mais óbvio de a Gomes da Costa chamar a atenção para os seus produtos. Mas a fabricante de conservas de pescado, que pertence ao grupo espanhol Calvo e tem no Brasil o seu maior mercado mundial, vai além no esforço para fazer com que o brasileiro coma mais peixe. A empresa decidiu ajustar o seu portfólio de pratos prontos vendidos à temperatura ambiente para pratos prontos congelados.

"A partir do ano que vem, vamos lançar mais pratos prontos congelados, que transmitem ao brasileiro a ideia de frescor", diz o presidente da Gomes da Costa, Alberto Encinas. A estratégia começou este ano, com o lançamento de pizza e lasanha de atum congeladas, produzidas por terceiros. "A pizza de atum é uma das cinco mais pedidas na cidade de São Paulo", diz Encinas. No exterior, quase a totalidade dos pratos prontos da Calvo são enlatados, vendidos à temperatura ambiente. "Mas o brasileiro vincula esse tipo de produto à ideia de uma comida com conservantes, o que não é real", diz ele, ao ressaltar que o atum e a sardinha em lata são esterilizados.

Em 2013, estão previstos investimentos de R$ 17 milhões em marketing e lançamento de produtos, um avanço de 31% sobre o total aplicado este ano. O próximo passo é lançar filés de peixe com molho congelados, na tentativa de ganhar mais espaço no mercado de pratos prontos, que movimenta R$ 800 milhões ao ano no Brasil.

"Identificamos por meio de pesquisas que a maior barreira para o brasileiro aderir ao consumo de peixe no dia a dia está na dificuldade do preparo", diz Encinas. Com os lançamentos, a empresa procura incentivar o consumo ao aliar a praticidade dos pratos prontos ao apelo saudável do peixe, rico em ômega 3, afirma. "Ao mesmo tempo, reforçamos nossa identidade como uma empresa de alimentos, que vai além de uma fabricante de peixe enlatado", diz ele. Neste ano a Gomes da Costa também levou às gôndolas o filé de salmão com molho, mas em uma versão em lata.

Com notória predileção por carne vermelha e frango, o brasileiro deixa a desejar quando o assunto é colocar o peixe no prato: o consumo nacional está em 10 quilos por pessoa ao ano, abaixo do mínimo de 14 quilos per capita ao ano indicados pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO).

Como parte da estratégia de incentivar a compra de atum e sardinha prontos para o consumo, a Gomes da Costa levou ao ar uma campanha nacional de TV, intitulada "Galã", produzida pela JWT. No filme, um rapaz nunca passa do primeiro encontro com diferentes garotas porque nenhuma delas aprecia os seus dotes culinários. Até que ele descobre o site da Gomes da Costa e consegue surpreender na cozinha. A campanha também vai para a internet e o metrô de São Paulo.

A empresa é líder no mercado de atum e sardinha em conserva, que movimenta cerca de R$ 2 bilhões ao ano no país, com uma participação de 40% em volume. A segunda colocada, a marca Coqueiro, comprada há um ano pela Camil Alimentos, tem 31% de "market share".

Com vendas em mais de 70 países e fábricas em três países (Espanha, El Salvador e Brasil), o grupo Calvo, maior fabricante mundial de pescados enlatados, pretende faturar R$ 1,6 bilhão no mundo este ano. Metade desse montante, R$ 800 milhões, virão do Brasil, onde a empresa planeja encerrar 2012 com crescimento de 23%.

Do total faturado pela Gomes da Costa, 10% vêm de pratos prontos, um segmento onde aportou há dois anos, com a salada de atum enlatada (vem com garfinho de plástico, pronta para ser consumida na hora). Também fazem parte do portfólio de produtos prontos os patês de salmão, o medalhão de merluza com tomate e queijo e os empanadinhos de merluza, voltados para o público infantil.

Para aumentar em 30% a produção na sua unidade em Itajaí (SC), a Gomes da Costa anunciou em 2011 investimentos de R$ 30 milhões, que serão concluídos em 2013, segundo Encinas.

Seção: Empresas| Tendências&Mercados

Fornecedor: Lupa Clipping

Por: Daniele Madureira - De São Paulo

Fonte: Jornal Valor Econômico em 24 de outubro de 2012 07:43

Pesquisar Tags:

Gomes da Costa, atum, sardinha, conserva, portfólio, enlatados


Permalink |

Comentários

Deixe um comentário
  • Coluna Do Editor

    ...e aqui estamos nós, em 2017!

    Leticia Evelyn Oliva-Cowell
    23 de janeiro de 2017 01:25
    Industria de Alimentos em 2017, nós estaremos acompanhando.