Ambev eleva capacidade em 50%

Com o investimento, para a implantação de uma linha de latas de 269 ml, a empresa conquistou a liderança no mercado de cervejas do Nordeste com a marca Skol, desbancando a então líder Nova Schin, da Schincariol.
Imagem: Fábrica da Ambev, foco da empresa para conquistar o Norte e o Nordeste.
Imagem: Fábrica da Ambev, foco da empresa para conquistar o Norte e o Nordeste.
11 de julho de 2013 | 08:01

Investimentos de R$ 45 milhões em 2010 permitiram que a Ambev, líder nacional na indústria de cervejas, aumentasse sua capacidade produtiva em 50% no Polo Industrial de Camaçari. Com o investimento, para a implantação de uma linha de latas de 269 ml, a empresa conquistou a liderança no mercado de cervejas do Nordeste com a marca Skol, desbancando a então líder Nova Schin, da Schincariol. A estratégia bem-sucedida faz parte dos projetos da Ambev no Nordeste, que chegam a investimentos de R$ 800 milhões, com foco no crescimento de renda da população nordestina.

Presente em Camaçari há 44 anos, a Ambev tem agora uma produção média de 400 mil hectolitros na unidade, que é distribuída para todo o Nordeste, especialmente para o mercado baiano. "A Bahia é estratégica para a Ambev", afirma Eduardo da Fonseca Soares, diretor industrial da Ambev para a região Nordeste, que administra no Estado uma fábrica de cerveja e refrigerante em Camaçari e nove centros de distribuição direta.

A unidade do Polo Industrial de Camaçari atende a todo o Nordeste e parte do Sudeste com as latas de cerveja de 269 ml. A capacidade de produção média da unidade é de 400 mil hectolitros por mês. Com cinco linhas de produção, a filial produz as cervejas Skol, Skol 360°, Brahma, Brahma Fresh, Brahma Malzbier e Antarctica. Em refrigerantes a fábrica produz Pepsi, Pepsi Twist, Guaraná Antarctica, Guaraná Antarctica Zero, Sukita, Sukita Uva, Soda Limonada e H2OH! limão.

" O último ano foi marcado pelo bom desempenho da nossa estratégia comercial, em que um dos focos foi a expansão nos mercados do Norte e Nordeste. Graças a esses investimentos, conseguimos entregar resultados em linha com nossa expectativa, mesmo diante de um cenário difícil no Brasil."

Com o maior contingente populacional do país de emergentes do consumo, o Nordeste chama a atenção da Ambev por seu potencial de desenvolvimento. A companhia mantém 32 unidades de negócio na região. São nove fábricas e 24 centros de distribuição, nos quais estão empregados 6,7 mil funcionários diretos nos nove estados da região. "Considerando toda a cadeia produtiva, são mais de 300 mil postos de trabalho", observa Eduardo Soares, diretor industrial da Ambev no Nordeste.

Desde 2010, segundo ele, a companhia tem destinado grande parte de seus investimentos para as operações na região. São mais de R$ 800 milhões, conforme anúncios anteriores. No ano passado, por exemplo, foram investidos R$ 120 milhões em Itapissuma (PE) para a inauguração de uma nova cervejaria. "Um ponto de atenção para nós é que vivemos um momento delicado na economia brasileira, devido a fatores como inflação, alta do câmbio e reajuste da carga tributária no setor de bebidas frias. Porém, esperamos continuar seguindo com nossos investimentos planejados para 2013, que podem checar a R$ 3 bilhões", avalia o diretor.

Mesmo com o tom de preocupação, Soares lembra que o setor de alimentos e bebidas é um dos que têm maior efeito multiplicador na economia. "Para se ter uma ideia, para cada R$ 1 investido, outros R$ 2,50 são gerados na economia do país. E para cada emprego gerado, outros 46 são criados em toda a cadeia produtiva", exemplifica.

O setor de alimentos e bebidas foi o que apresentou maior crescimento nominal no ano passado, de R$ 93,8 bilhões, ou 35,8%, segundo levantamento do Pyxis Consumo, ferramenta de dimensionamento de mercado do Ibope Inteligência, divulgado em junho. No fim de 2012, registrava a movimentação de R$ 355,4 bilhões, enquanto em 2011 foi de R$ 261,6 bilhões.

Segundo o estudo do Pyxis o consumo de bebidas deverá continuar aumentando. A perspectiva, conforme os dados, é que fabricantes de bebidas fermentadas tenham crescimento nas vendas de 9,5% em 2013. A estimativa do estudo é de que Estados das regiões Nordeste e do Norte liderem o crescimento de gastos com bebidas este ano. Nas duas regiões, em especial o Nordeste, a previsão de aumento do consumo está diretamente ligada ao crescimento de renda da população obtidos nos últimos anos.

Além dos investimentos da Ambev no Polo Industrial de Camaçari, outras cervejarias estão investindo na Bahia. Em Alagoinhas, a qualidade da água do litoral norte baiano está atraindo dois grandes empreendimentos. A Cervejaria Petrópolis, que fabrica as cervejas Itaipava e Crystal, está investindo R$ 1,1 bilhão em uma fábrica que deverá entrar em operação ainda este ano, abrindo 3.070 empregos. E a Brasil Kirin-Schincariol está investindo R$ 400 milhões na ampliação da sua fábrica na cidade, dobrando a capacidade.

Seção: Especial/Polo de Camaçari 

Fornecedor: Lupa Clipping

Por: AA

Fonte: Jornal Valor Econômico em 11 de julho de 2013 07:54

Pesquisar Tags:

Norte e Nordeste, Ambev, cerveja, Polo Industrial de Camaçari, cervejarias, latas, investimento


Permalink |

Comentários

Deixe um comentário
  • Coluna Do Editor

    ...e aqui estamos nós, em 2017!

    Leticia Evelyn Oliva-Cowell
    23 de janeiro de 2017 01:25
    Industria de Alimentos em 2017, nós estaremos acompanhando.