Consumidor troca carne bovina por ovo e frango para driblar alta

Em Campo Grande, já tem consumidor modificando o cardápio, alguns deles trocando a carne por ovo e aves, em virtude da alta dos preços. Em alguns cortes, o reajuste chega a 64,45%, se comparado ao custo registrado em dezembro.
Ilustração
Ilustração
2 de fevereiro de 2015 | 08:23

“Costumava comprar uns três quilos de carne bovina por semana; agora, estou me contentando com meio quilo, um quilo. Hoje, por ser sábado, aumentei um pouquinho. Estou fritando ovo. Aliás, o pobre está comendo ovo já há um bom tempo”, disse Antônio Lucas da Silva, 74, já aposentado, mas ainda na ativa como armador [preparador de ferragens em obras de construção]. 
A opinião de Silva engrossou o discurso de consumidores ouvidos pela reportagem, ontem de manhã, no Mercadão Municipal, em Campo Grande, centro comercial que serve como termômetro para a economia da cidade. 
O comerciante Ale Ramez, libanês naturalizado brasileiro há 14 anos, frequentador regular do Mercadão, disse não entender a razão das variações nos preços da carne. “A carne sai daqui [Mato Grosso do Sul] e vai para o Líbano, o que não compreendo é que, lá, a mesma carne custa mais barato. Hoje, está difícil para o assalariado comer carne com frequência, muito difícil. Agora [ontem, num dos açougues do Mercadão] estou pagando um preço maior de que outro consumidor lá no Líbano”, relacionou Ramez, negociante de roupas em Campo Grande. 

O país de Ramez fica no Médio Oriente, região espremida entre Israel e Síria, onde ocorrem bombardeios quase todos os dias.
 

Fonte: Jornal Correio do Estado em 2 de fevereiro de 2015 08:20

Pesquisar Tags:

carne bovina, ovo, frango, consumidores


Permalink |

Comentários

Deixe um comentário
  • Coluna Do Editor

    ...e aqui estamos nós, em 2017!

    Leticia Evelyn Oliva-Cowell
    23 de janeiro de 2017 01:25
    Industria de Alimentos em 2017, nós estaremos acompanhando.