Alta carga tributária impacta preços nos supermercados

Impostômetro atinge R$ 1 trilhão e APAS avalia consequências para o consumidor
3 de julho de 2015 | 14:20

Implantado em 2005 pela Associação Comercial de São Paulo - ACSP - o “Impostômetro” virou ponto de referência na região central de São Paulo e em todo o Brasil. Na segunda-feira, 29, o “Impostômetro” chegou à marca de R$ 1 trilhão de impostos arrecadados. Na visão da Associação Paulista de Supermercados (APAS), a elevada carga tributária impacta negativamente a atividade econômica, inibindo o crescimento econômico. 

Esse ano, a meta foi batida antes do que ocorreu no ano passado, quando o registro de R$ 1 trilhão só foi atingido no dia 10 de julho. Segundo o presidente da APAS, Pedro Celso, um maior nível de impostos acarreta em uma menor renda disponível, diminuindo o poder de compra da população.  “Isso desencadeia em um menor consumo, de modo que todos os setores do comércio são atingidos e, principalmente, o supermercadista. Por sinal, nosso setor é afetado em qualquer cenário onde há redução da renda das famílias, já que a variável mais importante para o aumento do consumo de alimentos e bebidas é a renda disponível da população”. 

Pedro comentou também que o sistema tributário brasileiro é extremamente complexo. Estudos da PWC apontam que as empresas brasileiras gastam em média 2.600 horas para se adequarem à legislação tributária no Brasil, o que impacta diretamente na produtividade das empresas e demonstra a dificuldade para a realização de negócios no Brasil.

Segundo o IBPT, o brasileiro trabalha em média 151 dias no ano para quitar todos os tributos (impostos, taxas e contribuições, por exemplo) que incidem ao longo do ano sobre suas atividades do dia-a-dia.

Para se ter uma ideia dos percentuais dos impostos de produtos de consumo básico, o açúcar tem uma carga tributária média de 32%; o arroz (17%); o feijão (17%); enquanto que o sabonete (37%) e o creme dental (34,6%). 

O painel “Impostômetro” tem o objetivo de conscientizar o cidadão sobre a alta carga tributária e incentivá-lo a cobrar os governos por serviços públicos de qualidade. “No entanto, não temos em troca dos impostos altos o retorno em forma de bons serviços públicos à população e investimentos em infraestrutura mínimos necessários para um crescimento sustentável”. 

Sobre a APAS – A Associação Paulista de Supermercados representa o setor supermercadista no Estado de São Paulo e busca integrar toda a cadeia de abastecimento. A entidade tem 1.260 associados, que somam mais de 2.830 lojas.

 

Por: Helyda Gomes - Approach

Fonte: APAS - Associação Paulista dos Supermercados em 3 de julho de 2015 14:18

Pesquisar Tags:

Apas, Impostômetro, impostos, supermercados


Permalink |

Comentários

Deixe um comentário
  • Coluna Do Editor

    ...e aqui estamos nós, em 2017!

    Leticia Evelyn Oliva-Cowell
    23 de janeiro de 2017 01:25
    Industria de Alimentos em 2017, nós estaremos acompanhando.