Leatt oferece alimentação saudável para alérgicos, celíacos e intolerantes à lactose

A Leatt, marca especializada em leite de amêndoas, apostou em uma combinação deliciosa para lançar mais um sabor: Cacau e Avelã.
4 de abril de 2017 | 21:43

A culinária ocidental é rica em alimentos preparados com leite ou seus derivados. Presentes em massas de pães, bolos e molhos, o ingrediente é facilmente encontrado em refeições do café da manhã até o lanche da noite. Quem nunca tomou um copo de leite antes de dormir?

Para boa parte das pessoas, esse hábito inofensivo pode gerar grandes problemas de saúde devido à uma explicação científica: elas não produzem a enzima que permite a digestão do açúcar do leite, a lactose.  Em virtude dessa baixa – ou ausência - de produção”, essas pessoas sofrem uma série de disfunções digestivas e outros males que hoje os estudiosos apontam como de origem galactogênica. 

Uma alternativa saudável para pessoas que possuem algum grau de intolerância à lactose,  glúten ou soja ou que apenas querem manter a boa forma, são as bebidas de origem vegetal.

Com esse objetivo, os empresários Bruno Ramos e Guilherme Barbieri lançaram o leite de amêndoas Leatt em 2015. A marca, considerada pioneira no estado do Rio de Janeiro, possui fábrica situada em Bonsucesso, bairro da Zona Norte da cidade.

Com matérias-primas selecionadas, 100% livres de açúcar, glúten, lactose e soja, a bebida é também indicada a pessoas que possuem algum grau de intolerância, além de ser isenta de taxas de colesterol, aromas artificiais, corantes ou aditivos químicos, o que garante mais qualidade de vida aos seus consumidores.

O leite de amêndoas Leatt pode ser encontrado em  lojas de produtos naturais e orgânicos na região metropolitana do Rio de Janeiro, Duque de Caxias e Niterói, além da região metropolitana de São Paulo, Barueri, Cotia e São Caetano do Sul. Há quatro diferentes versões: Original (amêndoas, sementes de girassol e ágar-ágar); no recém-lançado sabor Cacau e Avelã (amêndoas – extrato aquoso-, tâmaras, avelãs – extrato aquoso, sementes de girassol – extrato aquoso -, xylitol e cacau em pó); Morango (amêndoas – extrato aquoso-, sementes de girassol, polpa de morango, tâmaras e ágar-ágar) e Coco (amêndoas – extrato aquoso-, sementes de girassol – extrato aquoso -, polpa de coco, açúcar demerara orgânico e ágar-ágar). Um copo de Leatt Coco, por exemplo, possui 40% menos de açúcar do que um copo de suco de laranja. Contém propriedades que melhoram a atividade tireoidiana e ainda possui ação anti-oxidante.

O leite de amêndoas Leatt pode ser utilizado também no preparo de receitas doces e salgadas como como bolos, waffles, brownies, panquecas, molhos, smoothies, entre outras.

Atualmente, a marca fechou três parcerias importantes para atender à crescente demanda de consumidores com restrições alimentares e àqueles que buscam opções mais naturais e nutritivas. São elas: o Cuscuz Bacana, referência em cuscuz doce gourmet de Niterói; e os canais no You Tube Leve Me, idealizado pela jornalista carioca Nanda Carneiro, e o Cozinha Aí, sob direção da chef Claire Bonnemasou. Ambas fornecem conteúdo e workshops de receitas glúten, lactose e soja free, elaboradas com o leite de amêndoas Leatt.

 

Propriedades das amêndoas

Extremamente nutritivas, as amêndoas são fontes naturais de proteínas, fibras, cálcio, ômega 6, minerais, gorduras monoinsaturadas e poliinsaturadas e antioxidantes, que auxiliam a  complementar as necessidades diárias desses nutrientes essenciais para a saúde. São também ricas em vitamina E, do complexo B, magnésio e manganês.

Desvantagens do leite da vaca

- Grande parte da população brasileira possui algum nível de intolerância a lactose devido à deficiência parcial ou total da enzima lactase. Os sintomas mais comuns são: vômitos, diarreias, enxaquecas, dores abdominais, inchaços, cólicas e fezes ácidas.

- O leite de vaca é rico em proteína animal. Seu processamento e esterilização a até 150°C desnatura suas proteínas, o que aumenta seu potencial alergênico.

- A alergia à proteína do leite de vaca pode manifestar-se através de lesões na pele com coceira (urticária), diarreia, vômitos e, menos frequentemente, por sintomas respiratórios como chiado no peito e espirros.

- O processamento do leite animal inativa enzimas fundamentais como lipase, fosfatase, galactase, o que sobrecarrega o sistema digestivo humano, além de favorecer o aparecimento de cáries, alergias e/ou intolerâncias.

- Estudos apontam que o consumo regular de leite de vaca estimula o aumento da produção de IGF-1 e insulina.

- Apesar de ricos em cálcio, os laticínios são também ricos em proteína animal que aumenta a excreção renal deste mineral. Há inúmeros estudos científicos que alertam para a baixa capacidade de absorção do cálcio de leites animais pelo organismo humano, o que indica que nem leite nem uma dieta rica em cálcio reduz o risco de fraturas por osteoporose. Tais estudos apontam que é fundamental a presença de magnésio e vitamina D para que o cálcio seja absorvido, além de afirmar que a equação máxima entre cálcio e magnésio deve ser de 2:1 ou 3:1. O excesso de cálcio, associado ao baixo consumo de magnésio, leva o cálcio a se depositar nas artérias, causando um processo de calcificação ou também calcificação na mucosa gastrointestinal, entre outras consequências.

- Países com os mais altos índices de osteoporose também possuem os maiores níveis de consumo per capita de leite.

Desvantagens da soja

- Elevados níveis de ácido fítico na soja reduzem a assimilação de cálcio, magnésio, cobre, ferro e zinco.

- Os inibidores de tripsina da soja interferem na digestão de proteínas e podem causar distúrbios pancreáticos. Em testes com animais, a alimentação com soja contendo inibidores de tripsina causou problemas no crescimento.

- Fitoestrógenos da soja são antitiroideos potentes, os quais podem causar hipotireoidismo e podem causar câncer de tireoide. Em crianças, o consumo de fórmula de soja tem sido associado à doença autoimune da tiroide, além de também poder interferir na função endócrina, principalmente em em jovens.

- Alimentos de soja aumentam a exigência do organismo de vitamina D.

- Proteínas frágeis são desnaturadas às altas temperaturas durante o processamento da proteína isolada de soja e proteína vegetal texturizada, o que aumenta o potencial alergênico.

- Processamento de proteína de soja pode resultar na formação de lisinoalanina tóxica e nitrosaminas com potencial cancerígeno.

Leatt

Atendimento ao Consumidor

(21) 3129-9080; leatt@leatt.com.br

www.leatt.com.br

 

Por: Gabriela Lopes

Fonte: Leatt em 4 de abril de 2017 21:40

Pesquisar Tags:

Leatt, intolerância a lactose


Permalink |

Comentários

Deixe um comentário
  • Coluna Do Editor

    ...e aqui estamos nós, em 2017!

    Leticia Evelyn Oliva-Cowell
    23 de janeiro de 2017 01:25
    Industria de Alimentos em 2017, nós estaremos acompanhando.

Artigos Relevantes

    Nenhum resultado encontrado.